Arquivos diários: 1 de setembro de 2021

Sped disponibiliza versão 7.0.10 do programa da ECF

O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) disponibilizou nesta terça-feira (31) a versão 7.0.10 do programa da Escrituração Contábil Fiscal (ECF).

Serpro deixará de disponibilizar dados a terceiros a partir de dezembro

O Diário Oficial da União publicou a Portaria nº 62/2021 que coloca fim ao acesso aos dados e informações da Nota Fical Eletrônica (NFe) , disponibilizados pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO), por terceiros, a partir do dia 1º de dezembro de 2021.

Sisbacen: entenda o que é e como funciona sistema do Banco Central

O Sistema de Informações Banco Central (Sisbacen) é o conjunto de sistemas e recursos de tecnologia da informação para suporte e condução de processos de trabalho do Banco Central (BC).

Receita Federal pretende reduzir créditos de PIS e Cofins

Young man using calculator and calculate bills in home office.

A Receita Federal pretende reduzir o valor dos créditos PIS e Cofins produzidos a partir da aquisição de bens e insumos. Para isso, busca respaldo da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

O entendimento, que consta em um parecer interno da Coordenação-Geral de Tributação (Cosit), é de que os contribuintes devem contabilizar esses créditos usando o mesmo critério de cálculo dos pagamentos à União,ou seja, sem o ICMS embutido.

A Receita Federal afirma que encaminhou o parecer para a PGFN em forma de “consulta”. Contudo, ele já ganhou notoriedade entre os advogados, porque foi juntado em um processo que tramita no Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região, com sede em São Paulo, menos de 24 horas depois de o STF ter publicado o acordão da “tese do século” (processo nº 5000538-78.2017.4.03.6110).

O Órgão solicita que os procuradores façam a “ratificação ou retificação” do entendimento.

“Se for admitida a manutenção do ICMS no valor de aquisição de bens que dão direito a crédito, haverá um completo desvirtuamento da não cumulatividade da contribuição para o PIS e a Cofins, esvaziando a arrecadação”, diz no texto.

Consta ainda, nesse parecer, que “em situação limite, considerando as margens de agregação na cadeia de produção e comercialização de determinado produto, é possível chegar-se a saldo líquido negativo”. E, nesse caso, o contribuinte teria valores a receber e não a pagar, o que faria com a União subsidiasse a atividade econômica com valores retirados da seguridade social.

“Entendemos que esse parecer não tem efeito vinculante. Não foi publicado no Diário Oficial nem no site de normas da Receita Federal. Mas demonstra um ato potencial para restringir o direito ao crédito”, diz o advogado Luís Alexandre Barbosa, do escritório LBMF.

Crédito

A tomada de crédito faz parte da apuração das contribuições sociais para quem está no regime não cumulativo – praticamente todas as grandes empresas. A alíquota de PIS e Cofins, nesses casos, é de 9,25%.

Para calcular quanto deve, o contribuinte precisa separar as notas de saída, referentes às vendas realizadas no mês, das notas de entrada, que contêm o custo de aquisição de produtos que dão direito a crédito (insumos, por exemplo). É feito um encontro de contas entre esses dois grupos de notas e sobre o resultado aplica-se a alíquota.

O STF decidiu, em maio, que a parcela do ICMS que consta na nota de saída – na venda dos produtos, portanto – deve ser retirada do cálculo do PIS e da Cofins. Os ministros consideraram que o imposto estadual não pode ser classificado como receita ou faturamento, que é a base de incidência das contribuições.

Com a retirada do imposto estadual da conta, a base de cálculo do PIS e da Cofins foi reduzida e, consequentemente, os valores a pagar ao governo ficaram menores. As empresas, além disso, têm o direito de receber de volta o que pagaram de forma indevida nos últimos anos. O custo dessa tese para a União está estimado em R$ 358 bilhões, segundo estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

Agora, a Receita Federal está afirmando que, pela lógica, a parcela do ICMS que consta nas notas de entrada, ou seja, na tomada de crédito, também não poderia ser contabilizada.

Inclusive, pelo menos, duas empresas foram cobradas pela Justiça por valores que teriam deixado de recolher aos cofres públicos nos últimos cinco anos.

Procurada pelo Valor, a Receita Federal não deu retorno até o fechamento da edição. Em nota, a PGFN afirma que está analisando o parecer e se manifestará em breve.

Fonte: Portal Contábeis

Conta de luz ficará mais cara com taxa extra de R$ 14,20; medida entra em vigor hoje (1º)

O Brasil vive uma crise hídrica que levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a reajustar as bandeiras tarifárias nos últimos meses Agora, diante do agravamento da situação, foi criada uma nova bandeira tarifária, chamada Bandeira Tarifária ‘Escassez Hídrica’.

Novas regras da Susep começam a valer

A partir desta quarta-feira (1º), entram em vigor novas modalidades em relação aos produtos de seguros que foram autorizadas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), podendo trazer economia para quem precisa renovar ou mesmo fazer uma nova apólice.

LOA: Governo envia orçamento de 2022 com salário mínimo definido em R$ 1.169

Nesta terça-feira (31), o governo federal enviou ao Congresso o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2022.

Dólar opera em queda em dia de divulgação de PIB

O dólar opera em queda nesta quarta-feira (1), em dia de divulgação do resultado oficial do PIB (Produto Interno Bruto), com os investidores de olho também na cena política e nos impactos da crise hídrica no aumento do custo da energia elétrica e na inflação.

Senado vota MP que cria minirreforma trabalhista nesta quarta

O Plenário do Senado vota nesta quarta-feira (1º) a medida provisória (MP) 1.045/2021 que cria o novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e promove uma minirreforma na legislação trabalhista.