President of Brazil's Lower House Arthur Lira gestures as he arrives for the launch ceremony of the platform Participa + Brasil, at the Planalto Palace, in Brasilia, Brasil, on February 8, 2020. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)

Apesar de já ter sido adiada duas vezes no mês de outubro, o governo ainda espera colocar em discussão a PEC dos Precatórios buscando sua aprovação nesta quarta-feira (3).

O maior desafio para a votação nesta semana é garantir uma quantidade considerável de parlamentares na volta do feriado, para alcançar os votos mínimos para que o texto seja aprovado.

Nesta etapa são necessários 308 votos favoráveis entre os 513 deputados, requisito para a aprovação desse tipo proposta que altera a Constituição Federal.

Outras reformas de destaque que ainda aguardam votação, mas ainda sem data, são a Reforma Tributária e a Reforma Administrativa, que acabaram perdendo espaço para a PEC dos Precatórios devido sua urgência na aprovação.

Esta PEC propõe a liberação de Orçamento permitindo o parcelamento no pagamento dos precatórios, causando dúvidas entre os economistas já que poderia constituir um calote aos seus credores.

A PEC dos Precatórios é a única alternativa do governo no momento para que o Auxílio Brasil aconteça com as devidas alterações de valores e inclusões divulgadas.

Fonte: Portal Contábeis